quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Como Pagar as Portagens Depois de ter Passado nos Pórticos sem Via Verde?

Como pagar as portagens depois de ter passado nos pórticos? É uma pergunta recorrente a que aqui procuramos responder. Os utilizadores de autoestradas portajadas equipadas com sistemas de portagens virtuais (através de pórticos) e que nelas circulem sem os identificadores digitais que permitam o pagamento automático com débito em conta bancária deverão proceder ao pagamento das portagens nos 5 dias úteis seguintes ao atravessamento da via. Como? Dirigindo-se aos balcões dos CTT ou da rede payshop, comunicando a matrícula e disponibilizando-se para efetuar o pagamento que lhe será indicado.

Pode ainda, previamente, consultar as dívidas pendentes no sítio portagens.ctt.pt. Para aceder deverá registar-se previamente no sítio dos CTT depois disso e de fazer o login, introduza a matrícula e surgir-lhe-á a indicação dos valores em dívida. Note que os valores em dívida não deverão aparecer de forma automática. Em concreto, o Portal das Estradas informa:

O pós-pagamento só pode ser efectivado a partir do segundo dia útil após a passagem, à excepção das passagens efectuadas à sexta e ao sábado que poderão ser pagas na segunda-feira seguinte. Sendo apenas possível realizar o pós-pagamento a partir do segundo dia útil, será concedido ao cliente um dia útil adicional para além dos cinco dias já previstos. Caso o pagamento não seja efetuado dentro do prazo admitido, o proprietário do veículo está em infração, receberá na sua morada a respetiva notificação e ser-lhe-ão também debitados custos administrativos adicionais, para além das coimas a que eventualmente haja lugar.”




Siga a página do Trinta por Linha no Facebook e subscreva AQUI a nossa newsletter e receba diariamente as melhores dica para tudo e mais alguma coisa!

Como Poupar no Telefone

Hoje em dia, seja para que serviços for, os preços apresentados são cada vez mais competitivos e o setor das telecomunicações não é excepção.

Para saber como poupar com telefone, há que perceber que as empresas oferecem pacotes que incluem mais que esse serviço. Na verdade, o que realmente acontece é que parece que o telefone fixo voltou a estar na moda.

De qualquer forma, e como acontece com a esmagadora maioria das pessoas, o telemóvel torna-se mais do que essencial, tornando o uso de um telefone fixo como uma despesa desnecessária e

Seguem-se algumas dicas de poupança e de como poupar telefone.
Confira-as, já abaixo!.



Dicas de poupança

  • Para poupar com o telefone analise as diferentes propostas das operadoras por forma a conhecer as tarifas aplicadas. Desta forma vai poder poupar ao máximo, pois a quantidade e qualidade de ofertas é de tal forma, que se puder ter melhor e mais barato, não deverá descartar.
  • Por outro lado, se não se lembrar da última vez que recebeu ou fez uma chamada através do telefone fixo, então talvez esteja na hora de pensar em cancelar o contrato, pois não valerá a pena gastar dinheiro com uma assinatura mensal se o que pretende é mesmo poupar.
  • Uma opção para poupar em telecomunicações e telefone, e que muitos ainda não fazem ideia, é ter um telefone online. Hoje em dia, já existe software gratuito, como o já muito conhecido e utilizado Skype, que permite a realização de chamadas telefónicas via Internet, independentemente da distância, e sem a necessidade de gastar um cêntimo que seja, bastando apenas um microfone para facilitar a conversa.
  • Não só é a melhor forma de se saber como poupar com telefone, como as chamadas internacionais são ilimitadas. E se forem exactamente estas as chamadas que mais peso têm na sua fatura mensal, no caso de manter o telefone, contacte o seu operador para saber se existe algum pacote para chamadas internacionais ilimitadas. E isto porque o preço de adesão mensal poderá comparar, comparando com o que normalmente gasta.
  • Uma outra forma para poupar com telefone são os pacotes completos, ou seja, os serviços integrados de televisão, internet e telefone. Por regra, são preços apelativos e mais em conta do que contratar os serviços separadamente. Desta forma, não só fica com uma conta mensal que abrange vários serviços, como poderá usufruir de promoções de adesão.
  • A utilização de um cartão telefónico, que é uma boa alternativa ao telefone fixo, vai permitir efectuar as mesmas chamadas a partir de qualquer telefone a um custo reduzido e sem necessidade de assinatura. Esta possibilidade também vai tornar os telefonemas de longa distância mais práticos, para além do facto de que também só vai pagar aquilo que gastar.
  • Por fim, uma última forma de ficar a saber como poupar com telefone é procurar pelos horários económicos. É que em certos horários diurnos ou noturnos, as chamadas são gratuitas. É a forma mais inteligente de poupar dinheiro, pois só terá de concentrar as chamadas que tem de fazer nesses horários.
Fonte: comofazer

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Registo de Propriedade com Novas Regras

Conheça as novas regras no que diz respeito ao registo de propriedade de automóveis

Há boas notícias para quem está a pensar em vender o seu automóvel: Entrou em vigor no dia 22 de dezembro uma nova legislação que prevê a possibilidade de o vendedor poder solicitar a mudança do registo de propriedade. Recorde-se que, até agora, a alteração do registo de propriedade apenas podia ser solicitada pelo comprador no prazo de 60 dias, a contar da data da venda do veículo. Desde a semana passada também o vendedor pode pedir a alteração deste registo. Esta legislação aplica-se aos veículos adquiridos por contrato verbal de compra e venda.
Com as novas regras agora publicadas os consumidores que vendam os seus automóveis ficam mais protegidos. Existiam muitos casos em que os vendedores, apesar de terem transacionado a viatura, continuavam a ser os seus proprietários legais. Isto porque o comprador não procedia à alteração do registo automóvel para o seu nome. Resultado: Muitas vezes, o vendedor acabava por ter de pagar o imposto único de circulação (IUC) de uma viatura que já não lhe pertencia.
Para evitar este tipo de conflitos, a nova legislação permite assim que o registo de propriedade possa ser feito pelo vendedor, presencialmente ou via postal, com base em documentos que provem a venda do veículo. Exemplo: Faturas, recibos, vendas a dinheiro ou outros documentos de quitação, dos quais conste a matrícula do veículo, o nome e a morada do vendedor e comprador.
Os restantes elementos de identificação do comprador (como por exemplo, o número de identificação fiscal) devem ser indicados no impresso de modelo único para registo. Como base para este p
edido, também pode usar uma declaração prestada pelo vendedor, com o maior número possível de elementos, como o nome e morada do comprador e a data de compra e venda .
Veja também:

O Que Diz as Letras Laterais do Teu Pneu?

Como se processa?

Depois do vendedor ter feito o pedido de registo de propriedade, a conservatória irá notificar o comprador no prazo de 15 dias, para que este possa opor-se e contestar alguma das menções ou completar os elementos necessários para o registo.
Caso o notificado não se oponha, a aquisição é registada. Se houver oposição, cabe ao conservador avaliar se se justifica ou não. Caso a decisão seja a favor do vendedor, o conservador deverá efetuar o registo e notificar o comprador da decisão.
Se não houver oposição ao pedido de registo, mas o comprador contestar alguma das suas menções, o conservador avalia e efetua o registo em conformidade.
Se o conservador decidir não registar a propriedade, o serviço de registo pode pedir às autoridades competentes a apreensão do veículo. Tanto o procedimento especial para registo de propriedade como o regime de apreensão de veículos são avaliados no prazo máximo de dois anos.

Quanto custa o processo?

Este procedimento especial de registo de propriedade tem custos. No entanto, os encargos podem ser amenizados em 15%, caso o pedido seja tratado via online. Pelo registo de propriedade de um veículo adquirido por contrato verbal de compra e venda (requerido pelo vendedor), a regularização de propriedade custa 75 euros.
Se o negócio tiver ocorrido até ao final de dezembro de 2013 e o registo tiver sido pedido até ao final de 2015, o custo baixa para 40 euros. O certificado de matrícula emitido a pedido do titular, na sequência de registo de propriedade efetuado nestes moldes, tem um custo de 95 euros.
Siga a página do Trinta por Linha no Facebook e subscreva AQUI a nossa newsletter e receba diariamente as melhores dica para tudo e mais alguma coisa!

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Como Aliviar as Cólicas do teu Bebé

A cólica é uma dor comum em bebés pois o intestino ainda não se desenvolveu. Saiba quanto tempo dura e como aliviar a dor de seu filho.




A cólica é causada no bebé, mas uma das pessoas que também sofre é a mãe, a cólica é um dos grandes problemas em mais de 15% dos recém nascidos, um verdadeiro drama para toda a família que está se adaptando com a nova rotina de um bebé. Seja o primeiro, segundo ou terceiro filho as cólicas são inevitáveis e fazem parte da evolução do organismo imaturo. Quando o bebé começa a chorar, causa grande pânico nas mães, principalmente nas de primeira viajem, a criança chora tanto que a vontade que as mães tem é de transferir a dor para elas.

Cólicas em bebé o que causa


As causas são devido ao desenvolvimento do organismo que ainda é muito sensível, e aos nervos sensitivos do bebé, para eles é uma grande dor. É possível identificar  se o bebé está com cólica pelo choro longo e intenso, além do bebé se contorcer com as perninhas e a coluna para trás. Uma das principais causas, estudada por anos por pesquisadores do Texas descobriram que a cólica pode estar ligada a bactéria klebsiella, que é encontrada no intestino nos primeiros meses de vida.

Cólicas em bebé até quando


Costumam durar até os quatro meses, aquelas cólicas comuns, mas em alguns casos a cólica pode gerar outros problemas gastrointestinais como a síndrome do intestino irritável e pode se estender até o primeiro ano de vida. Quando o bebé passa a se alimentar com mais independência de alimentos sólidos o problema tende a cessar, para grande alivio dos pais.

Cólicas em bebé como aliviar










A melhor forma para alivio do bebé é através de massagens suaves na barriga, exercícios com as pernas em movimentos de bicicleta, além de não se desesperar. Quando a mãe esta calma ela consegue transferir para o bebé, um ambiente calmo com meia luz, bolsa de água morna, e deita-lo de bruços sobre seu corpo pode ser uma posição muito confortável.

Antigamente era indicado o funchicória, um pó de extrato de erva que as mães colocavam na chupeta para acalmar o bebé, mas cientistas não comprovaram sua eficácia por isso passou a não ser recomendado. É também indicado pelo médico o uso de medicamentos como a simeticona para o alivio, mas não se esqueça de que deve ser prescrito pelo pediatra.

Cólicas em bebé como evitar

Para evitar a cólica, alguns truques antigos são indispensáveis segundo os pediatras. Fazê-lo arrotar após as mamadas é necessário, e é recomendável evitar alimentos gordurosos como chocolate, cebola, leite de vaca e o repolho para prevenir que o seu filho tenha cólica. Não se esqueça que a sua alimentação vai influenciar diretamente no desenvolvimento saudável do bebé, além de garantir que o bico da mamadeira ou do seio esta completamente na boca da criança, é muito necessário que ele não engula ar na hora da amamentação. Lembrando que quando ele chora, acaba engolindo mais ar, causando mais cólica, por isso quando ele começar a chorar não o deixe sozinho com dor no berço, tente conforta-lo o mais rápido possível.
Lembre-se de que quando o choro do bebé for incontrolável não adianta ficar desesperada, o melhor é se acalmar para poder cuidar do seu filho da melhor forma possível. Conte com a ajuda do marido ou da vovó para se revezar nas crises de cólica.


Fonte: mundomulheres

7 Segredos para Criar Crianças mais Felizes.

Todos os pais sabem o que querem para os filhos. Ou pelo menos assumem que sabem e acreditam que estão a educá-los e, prepará-los para o futuro de forma a atingirem os objectivos planeados. Mas já pensou verdadeiramente nesta questão?

Não assuma que sabe a resposta. Faça um exercício simples, passe um dia a pensar na pergunta: O que é que eu realmente quero para os meus filhos?
Há dias que queremos apenas que arrumem os quartos, façam os trabalhos de casa, e que durmam uma boa noite de sono. Noutros, delineamos planos bem definidos e começamos a construir o que consideramos ser os primeiros alicerces dos seus castelos.


Mas a verdade é que a resposta é simples, e unânime: o que todos queremos é que os nossos filhos sejam felizes, agora e sempre.


A felicidade é o bem mais procurado do mundo, e não se alcança nem se compra. A felicidade cria-se.
Aqui estão 8 dicas que, aplicadas com paciência e flexibilidade, vão ajudá-lo a traçar o caminho para a felicidade do seu filho:

1. Seja “O” exemplo a seguir
A melhor maneira de ensinar o caminho da felicidade ao seu filho, é mostrar-lhe que é uma pessoa feliz. Ele vai-se tornar na pessoa que vê: as crianças aprendem por observação e imitação, e não fazem aquilo que lhes dizemos, mas sim aquilo que fazemos.  Daí a expressão “Pais felizes, crianças felizes”.
2. Ofereça-lhe tempo
Para os nossos filhos o sinónimo de felicidade somos nós, os pais. Ofereça-lhe o seu tempo e brinque com ele. Passarem tempo de qualidade juntos vai ajudá-lo a desenvolver autoestima e a confiança. Vão criar laços que se tornarão nas memórias mais ricas do seu filho, e também nas suas.
Os adolescentes, por outro lado, querem coisas: dê-lhes tempo na mesma. Eles não sabem, mas é o que precisam.

3. Ensine-o a ser grato
Dizer obrigado, é mais do que se bem-educado. É ser grato pelo que temos. Podemos ajudá-los a ver o copo meio cheio em vez de meio vazio. Ensine-os a serem felizes com o que têm, em vez de ficarem tristes com o que não têm.
4. Deixe-o desenvolver os seus talentos sozinho
As pessoas felizes dominam uma habilidade. Ao dar as primeiras pedaladas na bicicleta, o seu filho aprende a cair e levantar-se tantas vezes que chega a ficar frustrado, isso vai ensinar-lhe a ser persistente e a ter força de vontade. Quando finalmente conseguir andar de bicicleta, vai sentir o sabor da vitória, fruto dos seus próprios esforços.
Ninguém é feliz todos os minutos da sua vida. As crianças precisam de aprender a tolerar a angústia e a infelicidade. O nosso papel é ensiná-los a caminhar, e não carrega-los ao colo o resto da vida.
5. Deixe-o fazer escolhas
As crianças têm muito pouco controle sobre suas vidas. Nós decidimos tudo para o seu dia a dia, muitas vezes sem questionar quais seriam as suas escolhas. O poder de escolha ensina-os a tomar decisões. Deixe-o escolher a roupa, ou o menu de jantar uma noite por semana. Dê-lhe a oportunidade de tomar pequenas decisões. A sensação de controle vai fazê-lo feliz.
6. Diga “não”
O mundo vai fechar muitas portas na cara do seu filho. Mais do que possa imaginar. Se quer que ele seja feliz, habitue-o a ouvir “não” quando está em casa rodeado de pessoas que o amam.
E o resto do mundo agradece por não ter de lidar com a birra “disseram-me não pela primeira vez” do seu filho.
7. Deixe-o exprimir emoções
É importante permitir que o seu filho seja infeliz de vez em quando. As crianças precisam saber que não há problema em estar triste, e que às vezes, faz parte da vida. Ajude-o a exteriorizar e reconhecer os seus sentimentos. Eles precisam de sentir o nosso apoio nessas alturas. Abrace-o, ele vai sentir que o compreende.
8. Ame o seu filho incondicionalmente
As crianças fazem asneiras. O seu filho está aos saltos, no sofá e já o mandou parar várias vezes. Ele continua, até que o pai ou a mãe se zangam à séria e gritam o ultimato “É a última vez que aviso…” Ele pára de saltar e começa a chorar. As crianças aprendem através da experimentação/erro, e eles precisam de correr riscos. Mostre-lhe que há consequências, mas que os pais o amam na mesma.
Tornam-se crianças mais seguras e confiantes e aprendem que as pessoas erram, mas há sempre uma oportunidade para corrigir os erros. Porque “errar é humano”.
Quando as crianças sabem que os pais estão SEMPRE ao seu lado, para o melhor e para o pior, tornam-se crianças mais felizes.


Fonteuptolisbonkids

Como Reutilizar Garrafas e Garrafões

Antes de colocar a próxima garrafa ou garrafão de plástico (PET) no ecoponto amarelo, experimente dar-lhe uma nova utilidade.

Já antes referi uma boa forma de reutilizar o gargalo de uma garrafa de pequena dimensão para fechar sacos plásticos, mas muito mais pode ser feito para dar uma nova vida a essas garrafas!
Cá em casa já começamos a aproveitar as garrafas e garrafões de plástico! Veja por exemplo o que fizemos com 2 garrafões de 5 litros… um dispensador de sacos plásticos e uma caixinha para o esfregão da louça:

Reciclar é bom para o meio-ambiente, mas reutilizar é ainda melhor para a carteira! :)
E tu? O que faz com as suas garrafas de plástico?




Siga a página do Trinta por Linha no Facebook e subscreva AQUI a nossa newsletter e receba diariamente as melhores dica para tudo e mais alguma coisa!
Fonte: poupaeganha

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Qual a Forma Mais Eficaz de 'Castigar' o Seu Filho?

Na altura de repreender os maus comportamentos dos filhos, os pais nem sempre sabem como devem atuar. Deixamos-lhe alguns conselhos, dados pelos especialistas que conversaram com o Diário de Notícias sobre o tema.

Quando a maioria das pessoas pensava que o velho truque de colocar pimenta na boca dos miúdos, quando estes se comportam mal, tinha caído no esquecimento, surge uma figura pública que confessa fazê-lo.

O chef britânico Jamie Oliver não tardou em ser criticado. No seguimento da polémica, o Diário de Notícias foi ouvir especialistas para perceber que castigos devem ser aplicados aos filhos.

Castigos físicos não têm o efeito que os pais estão à espera, uma vez que a criança é educada para o medo e não há compreensão do que está certo e errado”, explica a psicóloga Inês Marques, certa de que “usar alimentos como castigo ou reforço (por exemplo, dar um gelado se a criança se portar bem) pode ter um efeito perverso”.

A especialista aproveitou para dar alguns conselhos aos pais, dizendo que “quando os comportamentos não são muito graves, a melhor forma de os enfraquecer é ignorá-los”. Porém, “há situações graves que não devem passar em branco e merecem castigo”.

A mesma opinião é defendida pelo pediatra Mário Cordeiro, que sugere “retirar tempo dos ecrãs (televisão, consola…), encarregar de algumas tarefas domésticas, cancelar a semanada em alguns casos ou ficar no quarto a refletir sobre a vida”.



Siga a página do Trinta por Linha no Facebook e subscreva AQUI a nossa newsletter e receba diariamente as melhores dica para tudo e mais alguma coisa!

Varias Dicas para Poupar Energia em Casa

Cada um dos nossos gestos diários requer a produção de energia, o que custa dinheiro. Entre águaeletricidade e gás, os gastos com a energia em casa podem acumular rapidamente, no entanto, existem inúmeros pequenos truques que, postos em prática, vão ajudá-lo a poupar energia e, consequentemente, dinheiro.

No Verão, troque o ar condicionado por uma ventoinha de teto, de janela ou de pé e poupe cerca de 10% na fatura da eletricidade.
  • No Inverno, ligue a ventoinha de teto ao contrário, ou seja, na direção contrária aos ponteiros do relógio e conseguirá baixar e fazer circular o ar quente que se acumula no teto, aquecendo assim a casa.
  • Um recuperador de calor é três vezes mais eficiente do que uma lareira aberta.
  • Crie o hábito de desligar a luz sempre que sai de uma divisão para a qual não vai voltar tão cedo.
  • Troque as lâmpadas tradicionais por lâmpadas de baixo consumo e/ou lâmpadas fluorescentes – estas últimas duram aproximadamente 2 anos e consomem cerca de 35% menos energia.
  • Baixe a temperatura da caldeira/esquentador.
  • Desligue a caldeira/esquentador sempre que sai de casa e/ou durante a noite.
  • Baixe a temperatura do aquecimento central/ar condicionado.
  • Desligue todos os botões de standby dos eletrodomésticos – mesmo não estando a ser utilizados, se a luz de standby estiver acesa continuam a consumir energia e a aumentar a fatura da eletricidade.
  • Na aquisição de qualquer eletrodoméstico, escolha sempre os modelos com a maior eficiência energética – o investimento inicial pode ser maior, mas as poupanças futuras serão de longo prazo.
  • Depois de carregar o telemóvel, MP3 ou máquina fotográfica, não deixe os carregadores nas tomadas, isto porque continuarão a gastar energia.
  • Certifique-se que todas as janelas e portas de casa estão bem isoladas – cerca de 30% do calor/frio entra em casa pelas janelas, ou seja, também pode sair, o que significa que gastará mais energia a aquecer ou a refrescar a casa.
  • Tape as janelas ou portas com frestas muito largas com almofadas compridas e estreitas, específicas para o efeito.


  • No Verão, mantenha as cortinas e estores corridos para não deixar entrar o calor e no Inverno faça o contrário, para que o sol aqueça a casa.
  • Feche a torneira da água enquanto lava os dentes, as mãos, faz a barba ou trata da loiça do pequeno-almoço. Por exemplo, uma torneira tradicional deita cerca de 9 litros de água por minuto: se perder 1 minuto a lavar os dentes, 3 vezes por dia com a água sempre a correr, gasta 27 litros de água – num mês são mais de 800 litros de água. Não há forma mais simples de começar já a poupar água, energia e dinheiro.
  • Troque os banhos de imersão por duches.
  • Torne o autoclismo mais eficiente em termos energéticos ao descarregar menos vezes, colocando uma garrafa de água cheia no depósito ou através da instalação de autoclismos duplos ou equipados com um botão de controlo.
  • Certifique-se que não tem nenhuma torneira a pingar, gastando água desnecessariamente.
  • Instale redutores de fluxo de água em todas as torneiras de casa e até nos chuveiros e continue a diminuir na fatura da água.
  • Sempre que puder, lave a roupa e a loiça com água fria; utilize ainda água fria nas limpezas domésticas.
  • Ponha as máquinas de lavar roupa e de lavar loiça a funcionar apenas quando estiverem cheias.
  • Em alternativa, não encha em demasiado a máquina de secar roupa – caso contrário a roupa demorará muito mais tempo a ficar seca.
  • Programe a máquina de lavar loiça para terminar antes do programa de secagem e deixe a loiça secar ao ar livre.
  • Em vez de utilizar uma máquina de secar roupa, seque-a ao ar livre.Adira à tarifa bi-horária, programe as máquinas para trabalharem exclusivamente de noite e veja a sua conta de eletricidade a diminuir.
  • O frigorífico é um dos eletrodomésticos que mais energia gasta numa casa, por isso, evite abrir e fechar a sua porta muitas vezes seguidas, optando antes por retirar ou guardar tudo o que precisa de uma só vez.
  • Evite a acumulação de gelo no congelador ou arcas frigoríficas, para manter uma eficiência energética eficiente.
  • Não deixe o ferro de engomar ligado se deixar de passar a ferro durante alguns minutos – um ferro de engomar gasta tanto como 10 lâmpadas de 100 watts, por isso, não desperdice essa energia e esse dinheiro!
  • Quando passar a ferro, passe a maior quantidade de roupa possível, aproveitando o facto da tábua e do ferro já se encontrarem quentes, e evitando o consumo excessivo de energia que ligar e desligar um ferro inúmeras vezes requer.
  • Antes de começar a passar a ferro, separe a roupa que requer temperaturas altas daquela que necessita de ser engomada a temperaturas baixas; depois comece por passar as peças que exigem uma temperatura mais baixa e vá aumentando a temperatura, evitando o aquecimento e arrefecimento constante do ferro, poupando assim energia.
  • Quando estiver a assar ou a cozer algo no forno, evite abrir a porta do mesmo muitas vezes, caso contrário perde cerca de 25% de calor, para além de gastar mais energia para voltar a aquecer o forno.
  • Deve adequar o tamanho da panela à boca do fogão onde vai cozinhar para evitar o desperdício de energia; no entanto saiba que as bocas mais pequenas gastam 10% menos energia.
  • Cozinhe sempre com os testos a cobrir as panelas para poupar 75% em termos energéticos. Para além disso, as panelas de pressão gastam menos energia do que as panelas tradicionais.
  • Evite encher as panelas com demasiada água na hora de cozinhar, porque irá apenas prolongar o tempo de fervura e gastar energia desnecessariamente.
  • Desligue as bocas do fogão ou o forno alguns minutos antes do tempo previsto. O calor acumulado acabará de cozinhar os alimentos na perfeição, enquanto poupa energia.
  • Não coloque alimentos ainda quentes ou mornos no frigorífico – caso contrário o frigorífico terá de consumir mais energia para os arrefecer eficazmente.
  • O termóstato do frigorífico nunca deve estar abaixo dos 3ºC, uma vez que temperaturas muito baixas contribuem para uma produção de energia excessiva e desnecessária.
  • Se possível, opte por janelas com vidros duplos e uma caixilharia em madeira. Se preferir uma caixilharia em alumínio tradicional, dê preferência aos modelos de corte térmico.
  • Sempre que praticável, uma casa deve ter paredes duplas com isolamento térmico entre as duas.
  • A instalação de um painel solar doméstico é ótimo para aproveitar a energia solar, aquecendo a casa e a água.  
    Fonte: saberpoupar

    quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

    Aquecimento Central ou Ar Condicionado?

    A escolha entre aquecimento central ar condicionado como sistema de aquecimento ou climatização do lar depende de vários fatores

    Aquecimento central
    O aquecimento central é um sistema que permite aumentar a temperatura ambiente e diminuir a humidade do ar no interior da casa. Deve ser composto por:
    • aparelho de aquecimento de água (caldeira a gás, gasóleo, pellets, bomba de calor, etc.),
    • tubagens de distribuição de água,
    • emissores de calor (radiadores, chão radiante, toalheiros, etc.),
    • sistema de controlo (programador, termóstato, etc).
    preço de instalação varia consoante as condições de cada lar e os equipamentos a instalar, mas em média situa-se entre 2000 (T1) e 3000 euros (T4), para uma instalação com caldeira e um radiador por divisão.


    Vantagens do aquecimento central
    • sistema silencioso e saudável,
    • aquecimento uniforme por toda a casa ou apenas nas divisões desejadas,
    • programável para funcionamento automático em horários pré-estabelecidos,
    • muito conforto.

    Ar condicionado

    O ar condicionado produz ar quente e ar frio por intermédio de um circuito frigorífico, dando resposta a uma variedade de situações. Os sistemas de ar condicionado com tecnologia inverter são os mais recomendados, pois permitem uma maior poupança de energia.
    A instalação de ar condicionado custa normalmente 500 euros por quarto.

    Vantagens do ar condicionado

    • alia o aquecimento ao arrefecimento do lar,
    • pouco poluente,
    • investimento inicial moderado,
    • custo de consumo moderado.

    Siga a página do Trinta por Linha no Facebook e subscreva AQUI a nossa newsletter e receba diariamente as melhores dica para tudo e mais alguma coisa!
    Fonte: online24

    Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...